Home > Neuropediatria > Fisioterapia: Paralisia Braquial Obstétrica (PBO)

Fisioterapia: Paralisia Braquial Obstétrica (PBO)

Paralisia Braquial Obstetrica (PBO)

A PBO é uma disfunção que pode trazer graves conseqüências e restrições na vida de uma criança. O quanto antes ela começar a fisioterapia, menores serão as conseqüências. Tratar do seu filho na sua própria casa vai trazer mais comodidade, confiança e um enorme leque de possibilidades para a resolução das dificuldades diárias.

O que é a paralisia braquial obstétrica (PBO)?

É uma compressão ou lesão que acontece no nervo do braço do recém-nascido durante o parto.

Causas da paralisia braquial obstétrica

Bebês muito grandes ou que se apresentavam em posição invertida dentro do útero da mãe(com as perninhas em direção ao canal do parto), nascidos de parto normal, podem sofrer um movimento brusco no pescoço e braço durante o nascimento levando à lesão do nervo.

Sinais e sintomas

Crianças com PBO apresentam redução da movimentação do ombro, braço e mão afetados, utilizando somente o braço sadio para realizar as suas atividades. Estas crianças não apresentam comprometimento mental, a menos que, devido à lesão, ela deixe de vivenciar experiências próprias de sua idade.

Consequências

Estas lesões podem ser mais simples e a recuperação da criança durante o tratamento rápida, mas também podem ser mais complexas, deixando seqüelas por toda vida. As conseqüências de uma PBO não tratada pode repercutir também em outras partes do corpo da criança, como alteração da postura, desequilíbrios e desvios na coluna, daí a importância fundamental da fisioterapia preventiva e corretiva.

Como a fisioterapia pode ajudar no tratamento da paralisia braquial obstétrica?

É importante um tratamento responsável e precoce que estimule o bebê antes que ele se adapte a usar apenas o membro que não está afetado, dificultando ainda mais a recuperação do braço lesado. O interessante, que tratando em sua própria casa, o bebê será estimulado com objetos, móveis e pessoas do convívio desta criança, conseguindo uma maior interação desta criança, o que será primordial ao tratamento.

Número de sessões de fisioterapia domiciliar

O tempo do tratamento irá variar com o grau da lesão, idade da criança e início do tratamento, que deve ser o mais breve possível para impedir padrões de movimentos inadequados e o total isolamento do membro acometido.

 


Agende sua avaliação:

Entre em contato, teremos prazer em ajudar em sua reabilitação. Realizamos atendimentos de fisioterapia domiciliar em Belo Horizonte, Betim, Contagem, Ibirité, Igarapé, Mario Campos, São Joaquim de Bicas e Sarzedo.

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Telefone

Celular

Sua mensagem