Doula

Doula

A gravidez é repleta de novidades, incertezas, desconfortos e alegrias. A melhor maneira de vivenciar esse momento é com apoio, que pode vir em forma de grupos de gestantes ou com o acompanhamento de uma Doula.

 

Vamos voltar um pouco na história para entender sobre a função da doula…

Durante séculos, em diversas culturas da humanidade, o parto foi tido como um evento essencialmente feminino, um evento fisiológico e parte natural da vida das mulheres.  Era assistido por parteiras em ambiente domiciliar e as mulheres mais experientes e próximas da parturiente sempre estavam presentes durante todo o processo da gestação compartilhando saberes e informações, no momento do parto encorajando e fortalecendo a mulher e no pós parto auxiliando com os afazeres domésticos e com a adaptação da mãe com o bebê. Era natural que as mulheres formassem uma rede de apoio amorosa para amparar a parturiente.Essa foi a realidade até o século XVIII, momento em que surgiram os primeiros obstetras e a figura masculina se inseriu no processo do nascimento. Inicialmente eles intervinham quando algo não ia bem no parto, perceberam que em alguns casos a morte de mulheres ocorria por conta de vírus e bactérias e começaram a utilizar ambientes esterilizadas para realiza-los. Isso impedia que a parturiente fosse acompanha da por outras pessoas e, gradativamente, o parto foi deixando de ser realizado em ambiente domiciliar e passou a ser realizado em hospitais.

Foi no século XIX, que o cenário de institucionalização e medicalização daassistência ao parto se intensificou e as gestantes passaram a ser atendidas nos hospitais apenas por profissionais de saúde. Desta forma, modificou-se o modelo de assistência praticado até então e foi retirado do contexto o suporte físico e emocional de outras mulheres ao nascimento. Nos anos 60 e 70, os movimentos hippies e feministas trouxeram á tona a conscientização das mulheres sobre a importância de respeitar as decisões sobre seu corpo e o parto. Na mesma época, os médicos Frédérick Laboyer e Michel Odent , foram os pioneiros a revelar a a importância de um parto mais natural o possível, com a presença de acompanhantes que desse suporte físico e emocional durante o processo. Tais fatores levaram a alguns grupos da sociedade refletirem sobre a conjuntura do parto, e assim houve a retomada de interesse pelo parto natural , ressurgindo com ele a figura da mulher assessorando o parto que hoje conhecemos como doula.

A mulher contemporânea muitas vezes não pode contar com um círculo de apoio durante a gestação, parto e pós-parto.  E diante do cenário de nascimento que temos hoje a presença da Doula tornou-se uma importante ferramenta de amparo e empoderamento para que a mulher tenha uma assistência de qualidade e amparo emocional.

Hoje, segundo a definição do Ministério da Saúde, a DOULA é uma prestadora de serviços, treinada que, oferece apoio emocional, e informações à parturiente sobre todo o desenvolvimento do processo de parto e nascimento, esclarecendo-a quanto às intervenções e procedimentos, para que a parturiente participe das decisões em relação das condutas a serem tomadas. 

Evidências científicas apontam que a presença da Doula no trabalho de parto e parto apresenta:

  • Redução de 50% nos índices de cesárias
  • Redução de 25% na duração do trabalho de parto
  • Redução de 60% nos pedidos de analgesia peridural
  • Redução de 30% no uso de analgesia peridural
  • Redução de 40% no uso de ocitocina sintética
  • Redução de 40% no uso de fórceps
  • Melhora na pontuação de Apgar de 5 minutos
  • Diminuição do sentimento negativo sobre a experiência do parto
  • Leve redução na duração do trabalho de parto
  • Redução de depressão neonatal
  • Menor incidência de depressão pós parto
  • Maior índice de sucesso na amamentação com 6 semanas de observação posterior ao parto
  • Promoção da saúde psico-afetiva da mãe e do vínculo mãe-bebê

Assim, a doula se apresenta com um papel importante no processo de humanização do nascimento, pois fornece apoio emocional, físico e informativo, permite que os profissionais de saúde concentrem-se em suas atividades, pois a Doula dará a atenção e o apoio emocional que as parturientes necessitam durante o trabalho de parto, oferecendo alívio para as dores das contrações através de métodos não farmacológicos como: massagens, técnicas de relaxamento e respiração, banhos, imersão em água quente, dicas de posições (durante o trabalho de parto e parto) e o oferecimento de apoio emocional encorajando a mulher ao seu dom natural de parir. 

Portanto, diante do que a história nos mostra, das evidências contemporâneas expostas e diversos relatos existentes das mães que tiveram o suporte da doula durante o parto, podemos atribuir a essa mulher, a doula, “a nobre missão de servir e auxiliar outras mulheres a trazerem seus filhos ao mundo num processo lindo de semear, germinar e florescer, regando com carinho cada etapa desse cultivar”(autor desconhecido).


Doula na gestação

Doula na gestação

No período gestacional a doula tem a função através do acolhimento de ouvir a gestante, suas expectaivas, medos e dificuldades, acolher todas essas questões e juntas, discutirem como agir e abordar cada ponto, esclarecer as dúvidas e buscar o caminho para que a gestante se sinta segura e se empondere de suas forças femininas a fim de passar pelo período intraparto confiante em si e em seu corpo. Os encontros no período gestacional acontecem presencialmente, mas também disponibilizamos de forma online. (leia mais)


Doula no Parto

No momento do parto, a doula pode auxiliar a mulher de várias formas, isso dependerá da demanda individual de cada uma. De modo geral, com o trabalho da doula durante a gestação, a mulher vai para o trabalho de parto mais segura e consciente do processo de parir, proporcionando maior autonomia e empoderamento das suas escolhas. Assim, a doula mantém o papel em esclarecer as dúvidas e apoie as decisões tomadas no trabalho de parto e parto. (leia mais)


doula pós-parto

Doula no Pós-parto

Na visita pós-parto a doula buscará identificar se a recém-mãe apresenta alguma dificuldade tanto de ordem emocional como física e tentará identificar qual é a melhor forma de ajudá-la, sendo indicando especialistas ou até mesmo uma boa conversa. Alguns dos serviços que a doula pode oferecer no pós-parto: ouvir as dúvidas e inseguranças da puérpera e auxiliá-la, dar apoio ao período de adaptação e amamentação, suporte informativo sobre questões não clínicas como rotina, necessidades básicas do bebê, choro, entre outros. (leia mais)



Cíclica - Sexualidade Funcional

Contato

Segunda - Sexta 07:00-20:00Sábado - 07:00-13:00(31) 3044-3099
(31)9 9764-9963
Belo Horizonte - MGAtendemos em BH.

Newsletter

Cíclica. Todos os direitos reservados.

WhatsApp chat